Tapioca: comer ou não comer? Eis a questão

38
58

Apesar da tapioca ter se popularizado nas regiões mais ao sul do país há poucos anos, nas regiões Norte e Nordeste definitivamente não podemos dizer que esse é um “alimento da moda”. A tapioca (ou beiju) faz parte da cultura nordestina desde sempre e eu, como boa baiana, consumo desde que me conheço por gente.  Fato é: a tal farinha se popularizou como alimento da vez com o apelo de ser bom para a saúde principalmente pelo fato de não conter glúten.

Mas, como nem tudo são flores, o que vem se difundindo também é que a goma de tapioca possui muito carboidrato (muito messssmo) e estes são de altíssimo índice glicêmico (IG) – sim, é verdade, meus caros. Por conta disso muitas pessoas, principalmente aquelas que buscam o emagrecimento, passaram a excluir de vez esse alimento das suas dietas. CALMA LÁ, PESSOAL! Vamos raciocinar juntos, e descobrir que esse tipo de radicalismo não é necessário (acredito que nenhum é), mesmo para os que estão buscando perda de peso.

Em primeiro lugar vamos falar do conceito de PORÇÃO. Se você é do tipo que segue o que a embalagem da farinha de tapioca recomenda e faz o seu beiju com 100g de massa, PARE AGORA! (vocês já notaram que a embalagem de 500g diz na capa que rende 5 tapiocas, não é? rs). Em 100g de goma temos quase 60g de carboidratos – quantidade considerada muito alta para ser consumida em uma única refeição para alguém que objetiva o emagrecimento. Eu costumo recomendar e fazer a minha tapioca com pouco menos de 50g de massa (presente em 3 colheres de sopa da farinha), além de recheá-la fartamente com fontes de proteína e gordura (frango desfiado, atum, carne moída, queijos, manteiga, azeite de oliva, e o que mais de bom der na telha) – até porque, será o recheio o responsável por dar a saciedade.

Quando “misturamos” uma boa quantidade de proteína e gordura a uma fonte de carboidrato de alto IG  temos o grande benefício de reduzir a carga glicêmica da refeição, por isso não duvido que a minha tapioca fininha e bem recheada no final das contas tenha uma baixa a moderada carga glicêmica. E para aqueles que querem reduzir ainda mais a porção da tapioca na sua preparação, podem optar pela crepioca (1 a 2 colheres de sopa da farinha + 1 ovo inteiro) – essa mistura cria uma massa característica com ótima consistência, diferente da tapioca e do omelete, e fica ótima até como massa de “pizza”.

Além da porção que utilizamos na preparação, devemos nos atentar também à frequência com que consumimos a tapioca e qual o melhor momento para inseri-la. Por ter “muito” carboidrato (já vimos no parágrafo anterior que isso pode ser relativo), não é interessante consumi-la várias vezes ao dia (até porque, vamos combinar, quanto mais diversificada, melhor a dieta). E se fôssemos consumir apenas uma vez no dia, qual seria o melhor momento? Seja a tapioca ou qualquer outra fonte alta de carboidratos, considero o momento ideal para consumo o PÓS-TREINO.

Quando finalizamos um treino exaustivo o nosso corpo está ansioso para repor o estoque de glicogênio gasto durante o exercício, e por isso as chances de armazenarmos gordura devido à ingestão de carboidratos nesse momento é mínima. Além disso, comprovadamente o consumo de carboidratos depois da atividade física pode otimizar a síntese proteica (que levará ao ganho de massa muscular) e, aparentemente, carboidratos de alto índice glicêmico podem dar um melhor estímulo à hipertrofia muscular se inseridos neste momento. Por isso, se der vontade de comer uma tapioca mais grossinha, calce o tênis, faça um bom treino de força, volte e se delicie sem culpa! rs

Antes de “endeusar” ou excluir completamente da dieta qualquer alimento busque um nutricionista para saber como, quando e quanto inseri-lo na sua rotina sem que isso impeça-lhe de atingir o seu objetivo. Por fim, lembrem-se sempre: viemos a esse mundo para sermos felizes! Portanto, nada de radicalismos, por favor. 😉

Dúvidas do que comer de pré e pós-treino?
Conheça meu novo
ebook!  

38 COMMENTS

  1. Olá, nutri. Eu gosto de consumir minha crepioca no pré treino, incluo na minha crepioca chia, para melhorar a questão das fibras. Meu foco não é hipertrofia, é emagrecimento. Estou fazendo certo, ao consumi – la como pré treino?

  2. Ola cmecei a dieta dia 15 desse mes. To fazendo uma mistura de alimentaçao forte com low carb. Hj e dia 26 e ja se foram 10 kilos. Sei que a maior parte e liquidos pois minhas roupas afrocharam pouco. Mas eu nao achei isso normal mesmo sendo liquido e muita coisa. Sera que tem algo errado? Acho que vou aumentar os carbos. To consumondo 40 gramas por dia. Porem gosto de fazer exercicios mas pesado. To so na caminhada mas to sentindo muita tontura alguem me de dicas. Please

    • tem que esperar um pouco para ver como fica DAiane. Mantenha por 1 mês e vá acompanhando. Qualquer coisa, procura uma nutri que entenda de lowcarb, caso vc não tenha confiança nos procedimentos.

      Tontura, é sinal de falta de sal. 10 kg é muito mesmo, mas a maioria é água mesmo. vc devia estar muito inchada, vc bebia? Geralmente alcool contribui muito para isso. Mas enfim, segue firme e procure um médico para te orientar.

      Obrigado pela visita!

  3. Obrigada por esclarecer sobre a tapioca.
    Tambem adoro tapioca e comecei nos cerogenicos…
    Tem um documentario no Netflix “The magic Pill” exatamente sobre os cetogenicos, vai encourajar vc q esta tendo experiencia com cancer ou diabetes. Abraco.

    • Pode, Débora! Apenas cuidado para não inserir ela muito próxima do treino, pois ovo é um alimento que precisa de quase uma hora para ser completamente absorvido 😉 Beijos e sucesso!

  4. e se comer no café da manhã? Afinal vamos ter o dia todo para consumir esse carboidrato, inclusive na hora da atividade física. Eu, por exemplo, costumo correr 6 a 7km toda manhã, apos o café da manhã e as segundas quartas e sextas tenho funcional a noite. Então será que esse beiju no café da manhã vai atrapalhar minha dieta? Uso apenas manteiga, não gosto dele recheado.

    • Olá, Ana! Na verdade é bem difícil dizer se a tapioca (ou qualquer outro alimento) atrapalharia os seus resultados ou não. É que no fim das contas o nosso resultado será reflexo de tudo o que comemos no dia/semana/mês…e não apenas reflexo de um alimento que inserimos em determinado horário do dia. Se está funcionando para você dessa forma, continue fazendo assim 😉 Se vir que está estagnada, teste outras opções e vá observando 😉 Beijos e sucessO!

  5. olá Paula, adorei suas dicas. Estou na lowcarb há 45 dias e meu café da manhã ta sendo o ponto fraco, pois p mim, ovo e bacon é almoço, então, estava comendo tapioca com requeijão e café (preciso), mas posso comer crepioca então? Qual a receita individual para o café? obrigada.

    • Olá, Adriana! Nesse caso a crepioca seria melhor que a tapioca, por usar menos goma na porção. Uma única colher de sopa cheia de tapioca batida com um ovo e um pouco de queijo (sal e ervas a gosto) já faz uma bela crepioca para o café da manhã 😉 Beijos e sucesso!

  6. Nossa Senhora, não sabia que tinha isso tudo de carboidratos, mas pelo menos eu estava fazendo pouco, com 2 colheres de tapioca, para fazer crepioca recheada com frango,carne moída e ate mesmo queijo e presunto. Ainda bem que pode consumir um pouco. Pois em casa tem dois pacotes de Tapioca, eu comprei, eu e meu marido começamos com essa dieta Low Carb na semana passada, e estamos estudando essa dieta para ficarmos mais firmes e fortes, estamos amando. Estamos comendo com moderação as coisas que não nessa dieta, para não desperdiçar. Mas agora que faremos a feira, já sabemos o que comprar. Adorei de ter lido a respeito.

  7. O seu post foi extremamente esclarecedor! Muito obrigada de verdade! Eu amo tapioca e caí sim no extremismo de cortar ela de vez por achar que era uma bomba de carboidrato. Usando da maneira que você explanou eu fico muito mais tranquila, principalmente na ideia de fazer a crepioca =).

  8. Boa tarde! Em qual tabela ou artigo científico consta que a tapioca tem em 100g, 60g de carboidratos? Encontrei em várias fontes que possui na verdade 22g, pode me passar algum artigo científico confiável sobre essa sua afirmação? Obrigada!

    • Olá, Débora! Não usei nenhum material científico para chegar a essa informação. Na verdade olhei a tabela nutricional da tapioca que eu tinha em casa (talvez as marcas possam variar um pouquinho entre elas). Mas sem nem olhar nenhuma outra fonte, lhe digo que essa informação de 20 e poucos gramas de carboidrato em 100g de tapioca está errada, pois essa seria a composição de mais ou menos um pedaço de 100g de mandioca (tubérculo o qual a tapioca é derivada). Quando transformamos o tubérculo em farinha aumentamos muito a concentração do carboidrato na porção. É só dar uma olhadinha em alguns rótulos na internet para constatar 😉 Beijokas!

  9. Estou começando uma dieta lowcarb por causa dos triglicerídeos que estão em 567 quando o ideal é que estejam abaixo de 150, estou com sobrepeso e fiquei triste porque amo tapioca, vou diminuir bastante a quantidade do produto usado no preparo e diminuir também o número de vezes que faço na semana. 🙁

    • Eu não sou radical, por isso mantive minha tapioca fininha, uma vez ao dia, e perdi 16kg em 10 meses. Fiquei 2 meses sem come-la, mantendo somente dieta low carb, e no final do período, não perdi mais nenhum grama. Creio que valha a pena se testar, ver como o organismo reage

  10. Oi gente boa tarde, estou começando a dieta cetogênica minha finalidade não é perca de peso e sim melhorar minha saúde,como boa mineira que sou adoro pão de queijo minha receita leva 1 copo banha de porco 1 copo de leite, queijo minas curado e uma duzia de ovos alem de quatro copos de polvilho. Exceto o polvilho todos os outros são permitidos na dieta certo. Então qual seria o valor glicêmico (IG) de um pão de queijo . Agradecida .

    • Olá Maria, esse cálculo é feito em laboratório.
      De qualquer forma o polvilho tem IG bem alto, então o pão de queijo fica com iG e Carga glicêmica altos tb.
      Pão de queijo é uma delícia, é até paleo, mas de forma nenhuma é lowcarb. Consuma com moderação. 😉

      Obrigada pale visita!

    • Olá, Paula! Poder, claro que pode 🙂 mas lembre-se apenas que a probabilidade de você sentir uma fome maior que a habitual depois de fazer uma refeição rica em carboidratos de rápida digestão é bem grande! Talvez essa escolha torne mais difícil conseguir cumprir muitas horas de jejum. Acredito que seria mais interessante uma refeição com predominância de proteínas, gorduras e vegetais de pouco amido para agregar bastante fibra! Isso lhe deixaria saciada por mais tempo. Espero ter ajudado! Beijos!

      • Paula, sempre escutei q o ideal no pos treino é proteína e vegetais, para reconstrução das fibras musculares lesionadas pelo treino e de q nao precisamos de “energia” para ir dormir, já que treino a noite. O que me diz? Obrigada!

        • Oi, Kelly! a combinação de nutrientes do pós-treino sempre vai depender do objetivo da pessoa. Mas podemos dizer que proteína + vegetais (que podem conter um teor maior ou menor de carboidratos a depender de quais vegetais estamos falando) é uma boa combinação! Se você treina a noite, não vai deixar de se alimentar após o treino por causa do horário (eu julgo essa refeição bem importante!). Caso o treino seja muito tarde (muito próximo ao horário de dormir) terá que buscar uma solução de fácil esvaziamento gástrico (líquidos com baixo teor de gordura cumprirão melhor esse papel, whey como fonte de proteína nesses casos pode ser uma opção). Espero ter ajudado! Beijos!

      • Qual seria o café da manhã ideal…Estou começando a dieta low carb e está muito difícil…estou tomando um iogurte natural Nestlé todos os dias…mas não sei se estou fazendo certo…sinto muita fome de manhã…

  11. Cara Otília, vi seu comentário sobre o câncer no olho, muito triste, mas sugiro que veja o vídeo do Dr. Lair Ribeiro sobre aplicação de ozônio, ele diz que cura câncer, veja la, como não tem nada a perder vale a pena tentar. espero que seja util

  12. Oi boa tarde ,tenho câncer no olho bem complicado,vou ter que fazer cirurgia algumas vezes,antes de fazer enxerto,ppis preciso combater primeiro o câncer,e eu vi na internet o motor Laie Ribeiro falar que o açúcar e o carboidrato são o alimento do câncer sem esses alimentos i câncer desaparece,entao eu resolvi fazer uma dieta cetogênica,sem açúcar e nem carboidrato mais não está sendo Facl,pos quase todos os alimentos tem carboidrato,o que a senhora tem pra me falar sobre isso?

    • Otília, primeiro, a mudança de alimentação nunca é fácil, mas sempre existem alternativas saudáveis, aqui no site tem pão, panqueca, crepes, panini para o café da manhã, tem ensopado de carne, quiches, peixes para o almoço e creme de espinafre e tantas outras receitas. é só insistir.

      Agora, quanto ao cancer. Primeiro, não existem estudos científicos dizendo que dieta cetogênica cura o câncer, existem estudos que mostram que a dieta cetogênica ajuda na redução do tumor, e para passar das fases de tratamento de forma mais tranquila, principalmente fazer jejum ajuda muito.

      Segundo, não serve para qualquer cancer, teria que ser o cancer que se alimenta de glicose. E aí só um especialista para avaliar. De todo o caso, uma alimentação mais natural possível não deve piorar o seu quadro.

      Nós não somos nutricionista, (a Paula Mello é, mas ela não atende via internet, é proibido) eu recomendo procurar uma BOA nutricionista que estude os artigos mais atuais da área e que entenda muito bem de dieta cetogênica. Aconselho que vc leia alguns estudos na net também, afinal a saúde é sua, e temos que ter interesse em ler sobre isso. Dá uma lida nesse nosso post: https://www.diaadialowcarb.com.br/a-dieta-cetogenica-e-cancer-em-que-ponto-estamos/ lá tem muitas referências científicas.

      Muito obrigado pela visita, e nos mantenha atualizados. Valeu

    • Oi, Otília! Uma dieta cetogênica APARENTEMENTE pode auxiliar numa melhor resposta ao tratamento do câncer (eu sinceramente acho que vale a tentativa). De fato trata-se de uma dieta um pouco mais restritiva, então, como Reiner falou, busque uma nutricionista para lhe auxiliar a montar um cardápio variado que torne mais fácil o seguimento da dieta durante o tratamento. Você verá que existem muitas possibilidades! 🙂 Desejo todo o sucesso para você! Grande beijo!

  13. Olá menina abençoada,
    Adorei a matéria a respeito da tão querida tapioca, muito obrigada, especialmente pelo toque “viemos a esse mundo para sermos felizes! Portanto, nada de radicalismos, por favor. ” . Sou diabética (agora controlada), só que todos as tardes, por volta das 16h, tenho hipo. Nessa ocasião posso inserir uma crepioca?
    Bjsmil

    • Oi, Leonice!

      Que bom que gostou do texto!

      Você faz uso de algum hipoglicemiante? tem que identificar o porque está tendo hipoglicemias em um mesmo horário..talvez com a alimentação lowcarb você não tenha mais necessidade de utilizá-los ou talvez tenha que reduzir a dose (isso você deve identificar com o seu médico). Mas, de maneira geral, uma dose de carboidrato (em torno de 15g) é necessária quando a pessoa está numa situação de hipoglicemia! Hipoglicemias devem ser corrigidas rapidamente, então acredito que uma crepioca não seja a melhor opção, já que provavelmente demoraria um pouco para elevar a sua glicemia. Lembre-se que HIPERGLICEMIA causa diversos danos no corpo, mas HIPOGLICEMIA pode matar. Então não devemos “brincar” nesses casos… eu sugiro algum carboidrato de mais fácil absorção (suco de uva/laranja, ou algum doce, ou a própria tapioca, por exemplo).

      Sugiro conversar com seu médico para identificar o que está causando as hipoglicemias. Grande beijo e se cuide!

  14. Eu adiciono uma colher de chá de tapioca ao meu omelete no café da manhã, que fica com uma consistencia muito boa e muito gostoso.

  15. Q otimo! Tambem sou baiana, treino e a tapioca é o meu pos treino, iniciei uma dieta low carb p diminuir as medidas e fiquei com medo da tapioca ‘atrapalhar’ o processo! HAHA estava louca só de pensar em viver sem ela… Otimo post, muito obrigada!

Deixe seu comentário

Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.