Dia do lixo, você faz?

28

Esse post está na lista das ideias desde agosto de 2013! Pois é, muito tempo. Eu já tive vontade de falar sobre isso inúmeras vezes, mas sempre postergava por conta da polêmica que envolve o tema. Acontece que na semana passada algumas coisas me fizeram ter vontade de falar um pouco sobre isso por aqui.

Eu assisti um depoimento bem bacana de uma conterrânea que dias depois gerou uma conversa interessante com uma amiga que se identificou com alguns pontos do vídeo. Por fim, o Hilton postou lá no Paleodiário a tradução de uma artigo do Authority Nutrition chamado “7 razões para não ter dias do lixo ou dar ‘escapulidas'” que contesta o “dia do lixo”.

O tal “dia do lixo” é basicamente o dia que você tira pra sair da dieta.

Eu não defendo nem sou contra o “dia do lixo”. Eu acredito que depende muito de cada caso, de cada pessoa.

Existem pessoas que focam nos seus objetivos e conseguem se manter longe de “comida lixo” por muito tempo sem sofrimento. Mas também existem aquelas pessoas que por inúmeros motivos (emocionais, bioquímicos, culturais…) têm dificuldades de se manter 100% na linha, por mais que acreditem profundamente nos princípios da dieta e queiram muito alcançar seu objetivos.  Nesses casos eu acho que o “dia do lixo” pode ser uma opção.

É claro que comer “lixo” uma vez por semana é pior do que nunca comer, mas eu também acho óbvio que comer apenas uma vez na semana é muito melhor do que comer todo dia.

Eu faço as minhas “escapulidas”, mesmo sabendo que o ideal seria não fazê-las.

O texto com as “7 razões…” me chamou atenção para algumas coisas que não me afligem, mas sei (por casos próximos) que podem ocorrer exatamente como descrito.

Por exemplo, eu não tenho o problema do descontrole citado no texto, dificilmente exagero. Volto para minha rotina very low carb sem sofrimento. Mesmo nos momentos de extrema tensão ou ansiedade eu não me descontrolo. Posso até comer uma fatia de bolo de chocolate não programada, mas não vou comer uma bolo inteiro e muito menos virar uma lata de leite condensado goela abaixo. Não vou comer a sobremesa que sobrar do domingo, mesmo que ela fique a semana inteira dentro da geladeira.

Outro ponto levantado é a adaptação do organismo e do paladar. No meu caso, meu paladar mudou e continua mudando muuito e mesmo com as comidas “lixo” isso acontece. Inclusive, percebo que cada vez mais sinto menos vontade de coisas muito doces e não acho gostoso qualquer “lixo”.

E é aí que entra o ponto-chave. Não concordo com essa denominação de “dia do lixo”, pelo menos no meu caso é muito difícil eu usar esses dias para comer “lixo”. Você não vai mais me encontrar na fila da Mc’Donalds e nem do Burger King (na última vez pensei “como pude achar isso tão gostoso um dia”). Não vai me ver comendo biscoitos, bolachas, salgadinhos ou qualquer outra coisa de pacote. Nada de lasanha de microondas ou miojo.

Comer para mim sempre foi um momento de reunião. Cresci com fartos almoços de domingo na casa de minha vó e fazendo as refeições sempre acompanhada de quem estiver em casa. Gosto muito de cozinhar e testar receitas novas. Comida e momentos de felicidade estão entrelaçadas na minha mente.

Eu amo hambúrguer, mas hoje só como os feitos por mim ou em lugares que são “feito em casa”. Compro massas de qualidade ou faço as minhas, faço bolos, pães e doces, mas com ingredientes de qualidade. Sempre olhando rótulos e evitando coisas altamente industrializadas. Até sorvete tem que ser artesanal e feito com ingredientes de verdade…hahaha. Não acho que o que está fora dos princípios da alimentação páleo/lowcarb é “tudo farinha do mesmo saco”. Posso até passar por chata e nojenta, mas não saio da dieta por qualquer porcaria, não.

😛

E funciona?

Para mim a páleo/low carb é muito mais do que emagrecimento, é sobre ser saudável.

No meu caso, se eu fizer tudo muito certinho no dia a dia, não exagerar nas porções da “escapulida” e estiver me exercitando regularmente (nada demais, só não ficar parada), eu consigo perder peso, lentamente, mas consigo. Se eu parar os exercícios, eu mantenho o peso e, claro, quanto menos “escapulidas” eu der, mais rápido o peso desce. É uma escolha.

Quanto a saúde, eu consigo manter todos os benefícios que a páleo me trouxe. Claro que sinto algum desconforto depois de comer glúten ou exagerar um pouco nos carboidratos, mas minha mente ainda prefere passar por isso do que abdicar de algumas coisas. Doidice? Fraqueza? Falta de vergonha na cara? Não sei. Só sei que com o passar do tempo fui diminuindo os exageros, me conhecendo melhor e encontrando um equilíbrio. Acredito que com o passar dos anos vou sentir cada vez menos necessidade de comer certa coisas.

Então é isso, acredito que para algumas pessoas o “dia do lixo” pode ser uma ajuda, mas é preciso se conhecer bem para encontrar o equilíbrio e não se prejudicar. E claro, de preferência evitar “comida realmente lixo” sempre!

Ah, e antes que perguntem, eu não tenho um “dia do lixo” fixo. Eu sigo mais ou menos a regra 80/20, aplicada de forma a ter 80% das minhas refeições da semana totalmente páleo/very lowcarb e as outras 20% fora, normalmente concentradas no fim de semana. Mesmo quando estou “fora da dieta” tento observar proporções e não acumular tipos de carboidratos. Não consigo mais me “jogar de cabeça” no ultra high carb!

E você? O que pensa sobre o “dia do lixo”?

28 COMENTÁRIOS

  1. eu estou seguindo esse estilo de vida a dois meses perdi 9 kg, estou bem satisfeita, porém estou enjoando comer ovo, saladas, legumes e carnes. as vezes fico sem saber o que comer e ai acabo dando umas escapulidas.

  2. Olá iniciei a dieta tem 30 dias e emagreci 3kg (não estou fazendo atividade fisica )fui tentar comer arroz em uma refeição e tive uma sonolência sobrenatural.Pq isso acontece?

    • Oi Vanusa,

      Em geral esse sono é causado pelo pico de insulina que corpo precisa para baixar a quantidade de glicose no seu sangue. E como vc não está mais acostumada com isso, vc acha que é mais forte. É o velho sono pós feijoada da galera hehehe

      Valeu e obrigado pela visita!!

  3. No meu caso, consigo seguir a very low carb numa boa (uma fadiga e falta de ânimo ali, mas não cedo), o problema é se eu colocar um doce na boca, não paro mais até me fartar completamente. Por isso, prefiro manter longe. Não sinto que estou preparada pra fazer um dia do lixo e moderar nas porçoes, se eu colocar um pedaço de pão, massa ou qualquer farináceo com açúcar na boca, eu não paro mais. Constatei isso quando tive a última recaida num casamento de família, decidi ceder a torta de noivado…grande erro, comi umas 3 fatias dela, e acabei devorando uma quantidade imensa de salgadinhos e docinhos. Por sorte, o que se acumulou foram apenas liquidos, não cheguei a ganhar peso. Mas a dor de cabeça, dificuldade pra cetoadaptar novamente… Não vale a pena passar por tudo isso por causa de sabores inuteis que só ficarão na boca por 2 minutos. Penso desse jeito. Dificilmente saio da dieta.

    • Esse descontrole que é o perigo. Não adianta abrir exceções enquanto essa questão não estiver bem trabalhada, pois corre-se o risco de estar sempre recomeçando do zero.
      Obrigada pelo comentário e visita!

  4. Oi Carol
    Estou nesse estilo low carb de viver a um mes, e A-DO-RO como me sinto, mas a perda de peso está deixando muito a desejar, principalmente comparado ao que eu costumava perder quando era mais jovem, estava planejando fazer uma farra alimentar no fim de semana, pra ver se dava um up nessa perda, porque o que eu tinha lido ate entao dizia isso, agora ja li novos artigos e parece que nao é bem assim, to repensando….até porque nao estou em sofrimento com a dieta, esse aliás é o motivo pelo qual escrevo….hoje noto que minha ingestao de qq coisa é beeem menor, nao consigo mais comer quase nada, nao sinto fome e qdo sinto logo passa com um pouquinho de comida…mesmo assim a perda tem sido lenta 5 quilos no primeiro mes. Me sinto bastante fraca as vezes e outras viro uma energia em pessoa, tem dias que sinto muito sono, durmo demais ou passo a noite em claro, ta dificil de achar um equilibrio, será que ainda nao me adaptei? ah e tomo polivitaminico todos os dias….

    • Oi Valéria,
      Acho que um mês ainda é pouco para ter certeza de qualquer coisa. Provavelmente você ainda não se adaptou. Quanto a questão da “farra” seria melhor evitar por hora, mas um deslize que ocorra não é motivo de desespero.
      Tente observar o que você come nesses dias tão opostos para tentar identificar alguma coisa que possa causar esse desequilíbrio. No mais é ter paciência e seguir em frente. 5 quilos em um mês está muito bom!

      Abraços!

      • Obrigada por responder Carol
        O fato é que quando escrevi, vinha fazendo a dieta sem nenhum deslize entao nem tinha tido dia do lixo ainda.
        Fiz esse fim de semana, foi bom e ruim, vou fazer uma vez por mes qdo muito…o que estou buscando agora é realmente o porque da demora, vou começar a fazer a retirada de coisas sabotadoras aos poucos e observar….uma coisa que eu assumo que estou roubando ultimamente é que tenho um pé de pitanga e todo dia passo la e me esbaldo com umas 10 frutinhas…será?

        • Hahaha, pode ser Valéria. Pitanga tem poucos carbs (10g em 100g), mas tem que ver se vc está contabilizando isso e se são só 10 mesmo…. 😛
          Eu volta e meia tenho que fazer esse tipo de auto análise para ver se não estou comendo uma coisinha aqui outra ali sem perceber. 🙂

  5. Oi Carol, tbm não tenho dia do lixo.
    Mas sou muito visual. Não posso ver comida! É bem aquela coisa do exercício da força de vontade. No fim eu acabou cedendo.
    Faz tempo que não trago os “proibidões” pra casa. Fica bem mais fácil. Mas posso exagerar num almoço de família ou em uma restaurante zero lowcarb.
    Só com o marido é muito fácil porque ele tbm segue e ama, mas meus pais e minha irmã (que precisariam muito!) não seguem e acham um absurdo, na verdade.
    Acho que estou evoluindo e ficar em casa está sendo ótimo pra isso, mas não sei como será quando voltar a trabalhar 🙂
    Bjo

    • Acredito que quando você voltar a trabalhar já estará mais “treinada”. A gente internaliza tanto os conceitos que fica até difícil comer errado por qualquer motivo. Na emergência, até num fast food é possível não comer carboidratos.
      Bjos

      • Uma coisa que funcionou muito pra mim, e ja que a amiga é muito visual é dar uma olhada nos videos que circulam sobre as comidas processadas e sobre coisas que sao encontradas em latarias etc….eu fiquei tao enojada que hj em dia dou graças a Deus que estou comendo algo que eu mesma fiz….

  6. Boa noite,

    Estou muito acima do peso e com esteatose,preciso muito perder peso e estou muito empolgada,com tudo que estou lendo aqui.Em uma semana,já é possível notar diferença?…onde encontro mais detalhes,sobre?…obrigada!

  7. Não gosto da expressão “dia do lixo”, porque comida, seja que comida for, para quem está com fome não pode nunca ser chamada de lixo. Também não sou chegada a lanchinho, mas a um pedaço de torta de chocolate, a um bom prato de feijão com arroz eu sou. Como nunca fui gorda, pelo menos no sábado ou domingo, ou nos dois dias, almoço normalmente, arroz com feijão. A torta de chocolate? de vez em quando para comemorar a sexta-feira.

  8. Olá,

    Gostei muito do seu post, concordo sobre a parte de não ter um dia do lixo pra se esbaldar em Mc, BK, salgadinhos de milho, normalmente parto para uma comida japonesa hahah, enfim… Eu faço LCHF a uns 9 meses, ainda sinto necessidade de doces, mas agora consigo me controlar muito melhor, a alguns meses iria comer uma trufa depois do almoço hahaha.
    Meu problema sempre foi a cervejinha do fim de semana, que no momento larguei para priorizar minha perda de peso e medidas.
    Ultimamente eu piso na jaca comendo, pasta de amendoim, chocolate 70 ou 85 derretido com nata pra dar aquela sustância hahahha
    Tem funcionado pra mim, acho muito legal encontrar pessoas que passam pelas mesmas lutas que eu e acabam superando, são exemplos para eu me espelhar. Obrigada.

    • Olá Cristiane, realmente é muito bom saber que não estamos só. Por isso resolvi escrever esse post. Cervejinha nunca gostei, mas doces são sim minha perdição…kkk.
      Suas jacadas estão tão controladas! Parabéns. 😉
      Obrigada pela visita!

  9. Concordo com você. Não é necessário designar um dia para só comer “lixo”… Nos finais de semana, principalmente quando se está viajando ou visitando a família, é muuuito complicado seguir uma alimentação low carb que faço durante a semana… o carboidrato (por enquanto) lidera no mundo :(… então, para não passar fome, acabo comendo uma coisa ou outra, mas sempre dando preferencia na comida de verdade e nos carboidratos menos “maléficos” como o arroz por exemplo. Comida enlatada, pronta nem pensar e trigo só em último caso e se for alguma coisa que valer muito a pena… Sobremesa uma colherada e olhe lá, o paladar não aguenta comer tanto açúcar!! Sempre ando com meu chocolate de 70% cacau pra mais para matar a vontade de “sobremesa”. Mas resumindo, quem leva uma alimentação saudável baseada em low carb/paleo diariamente, dificilmente fará questão de comer porcarias,o paladar é outro e sabemos o quão importante para nossa saúde é a alimentação saudável… Então uma vez ou outra não mata e nem engorda!! já que, voltando no low carb, os kilinhos a mais se perdem em pouquíssimos dias…

  10. Carol, concordo em gênero, número e grau com que expuseste. Inclusive, me vi em teu texto, pois é assim que trato o “dia do lixo”.

    Acho que o importante é tu se sentir, livre e saudável. Isso que interessa! 😉

Deixe seu comentário

Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.