[Dia a Dia Pense Magro] 01: O início!

2
159

Depois de muito pensar, resolvi fazer novamente as etapas do livro “Pense Magro” da Judith Beck, ou como eu chamo, Bruxa Beck. Ela usa terapia cognitiva para melhorar os resultados da dieta, e vou relatar para vocês o meu dia a dia. 

pense magro a dieta definitiva de beck

Esse livro é excelente, e devo fazer em breve uma resenha sobre ele. A Bruxa Beck também tem outro livro que é “Pense Magro por toda a vida” mas eu acho bem inferior a esse. Já usei uma vez, e deu muito certo e na época era com reeducação alimentar (da pirâmide tradicional dos nutricionista loucos e desinformados) e acho que se encaixa perfeitamente no meu atual momento de sair toda hora da dieta, pq agora saio consciente de que o que vou comer vai me tirar do meu caminho de emagrecimento, e fico inventando desculpas a toda hora. A última era que eu ia viajar neste fim de semana e só ia começar a dieta na segunda. Como diz Beck, chega de trapacear!!

Veja um trecho do livro que eu acho que vocês vão entender como ele funciona, e quem não teve um dos pensamentos abaixo que atire a primeira pedra!!

pensamentos1

Viu porque chamo de bruxa? Ela lê minha mente, huaahuauhahu.

A Bruxa Beck baseia-se nos princípios da terapia cognitiva, inventada por Aaron T. Beck e que promoveu uma revolução no campo da saúde mental no final dos anos 1950 e início dos anos de 1960, desafiando o próprio Sigmund Freud que acreditava que a depressão e outros tipos de doenças mentais originavam-se de temores e conflitos reprimidos, e mantinham os pacientes em sessões diárias de psicanálise durante muitos anos. Aaron Beck descobriu, entretanto, que os pacientes deprimidos podiam melhorar rapidamente normalmente com 10 ou 12 sessões de terapia. Quando ele os ajudou a alcançar metas, solucionar problemas e modificar seus pensamentos depressivos, a depressão regredia rapidamente. O mais impressionante é que as pessoas não apenas melhoram, mas mantêm a melhora com o passar dos anos.

Os três primeiros capítulos mostram exemplos de como nossa mente funciona e também faz um marketing para o livro e tal, nada muito diferente dos livros de dieta, mas ainda assim é muito interessante. O capítulo 4 mostra como vai funcionar a dieta, e ela utiliza muito a ficha pautada, post-it e agenda. Eu vou usar meu celular em vez da ficha pautada e vou usar agenda. Eu não usei agenda da outra vez, mas acho que dessa vez terá resultados interessantes. Olha outro trecho do livro para vocês terem ideia de como é:

image

Chega de papo então, vamos começar o primeiro dia!! O primeiro dia é para registrar as vantagens de emagrecer! E com isso vou fazer um cartão (que vou colocar no meu celular) para ler todo dia. Pessoal, isso ajuda bastante na hora de resistir a impulsos. Mesmo com a dieta paleo (que reduz a compulsão, já que reduz os carboidratos que são viciantes), eu ainda tenho impulsos, que me fazem sair da dieta, e o pior, dura umas 2 semanas essa saída.  Sei o que vc está pensando, que não precisa fazer isso né? Olha a Beck lendo sua mente (ela é uma bruxa hahaha):

image (1)

Então aqui vai meu cartão de vantagem:

cartão de enfrentamento

cartão de enfrentamento (1)

É isso. Acabei o primeiro dia e venci a inércia de começar esse projeto. Ah, usei a foto da minha noiva no primeiro cartão porque ela sempre me motiva a ser o melhor que eu posso, sempre me empurrando para frente e porque ela é linda :D!

2 COMMENTS

  1. Olá, Reiner! Eu sigo sua página e adoro a maneira como aborda sua alimentação low-carb, na qual comecei há alguns meses (acredito que eu junho desse ano). Não emagreci quase nada, mas não me lembro mais o que é azia ou sonolência após uma refeição, e não sei o que é sentir fome a cada 3 horas mais (afinal, comer de 3 em 3 horas hoje parece estar preso à comida, né?).

    Eu sou uma sabotadora de dieta. Não emagreço porque vivo quebrando minha cetose, e vivo brigando comigo mesma, pois todas as “fugidas” só me causaram mal estar físico e me deixam mais distante do meu objetivo.

    Tenho esse livro e faço acompanhamento com uma psicóloga que segue a linha cognitiva (comecei por outros motivos e descobri que está tudo interligado, afinal)… Enfim!

    O que quero mesmo te dizer é que eu acho que como mudamos todos os conceitos sobre comida (e isso é ir contra a maré do planeta inteiro praticamente), talvez seja mesmo mais difícil internalizar de uma vez só e pra sempre os novos hábitos. Mais difícil, mas não impossível.

    Acho que ainda vamos inventar desculpas esfarrapadas para não fazermos o que é o certo. Afinal, agora sabemos o que é certo e bom, então não precisamos nos preocupar, é só recomeçar, né? Bom, eu penso assim… e é claro que não é bom pensar assim, mas pelo menos sabemos hoje o que é melhor pra nós!

    Teremos sucesso e aprenderemos novos comportamentos (pois, como diz a cognitiva, os velhos comportamentos não são eliminados, eles são substituídos pelos novos, por isso a repetição no início da mudança), mas precisamos de muita paciência com a gente mesmo.

    Já estamos no caminho certo! Basta “apenas” a gente se manter nele! rsrsrs

    Abraços e boa sorte na sua caminhada!

    • Olá Michele,

      É realmente difícil a jornada. Para alguns, só fazer lowcarb/paleo já emagrece bastante e para outros é mais complicado. Mas como você disse, eu acredito firmemente no estilo de vida lowcarb/paleo (basicamente comer comida de verdade) e com paciência chegaremos lá. Mas ainda assim, me pego saindo da dieta e demorando muito para retornar, é um saco né?

      Que bom que vc encontrou um psicólogo nessa linha, caso eu não consiga só com o livro eu farei o mesmo, acho importante procurarmos meios para nos conhecer e vencer esse estágio. E como vc disse, novos hábitos são difíceis, mas vamos conseguir!!!!

      (Achei bacana seu blog, vou dá uma lida, me inteira e acompanhar, parece ser MUITO LEGAL).

Deixe seu comentário

Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.